Acesse nossas redes

Colunas

Sempre tem uma luz no fim do túnel

gazetaadm

Publicado

em

Semana passada, em aula no ESDE – Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita – no Centro Espírita Chico Xavier, chegamos ao tópico onde é abordado o “retorno à vida corporal: planejamento reencarnatório”. O planejamento, segundo a Doutrina Espírita, parte do próprio Espírito, que tem o desejo de voltar a carne, ou por espíritos mais esclarecidos que são especialmente designados para esta tarefa. São os tutores.

Conforme a questão 258, de O Livro dos Espíritos, na primeira situação o Espírito […] escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisso consiste o seu livre-arbítrio. Já na segunda situação, diante da inexperiência do Espírito, Deus supre essa inexperiência traçando-lhe o caminho que deve fazer. Aos poucos, à medida que o livre-arbítrio se desenvolve aí o Espírito consegue o direito de conduzir o planejamento reencarnatório.

Para ilustrar, trago uma história contada pelo Adelino Moreira, que está no livro “Momentos com Chico Xavier” que achei fantástica:

“O ano era 1997, numa terça-feira à noite. Quando chegamos para visitá-lo, ele (Chicp Xavier) contou-nos o seguinte caso:

– Hoje minha mãe me apareceu e disse-me:

– “Meu filho, após tantos anos de estudo no mundo espiritual estou-me formando assistente social. Venho me despedir e dizer que não mais vou aparecer a você”.

– Mas a senhora vai me abandonar?

– Não meu filho. Imagine você que seu pai precisa renascer e disse que só reencarna se eu vier como esposa dele. Fui falar com a Cidália, sua segunda mãe, que criou vocês com tanto carinho e jamais fez diferença entre os meus filhos e os dela. Ela contou-me que também precisa voltar à Terra. Então eu lhe disse:

– Cidália, você foi tão boa para meus filhos, fez tantos sacrifícios por eles, suportou tantas humilhações… Nunca me esqueci quando você disse ao João Cândido que só se casaria com ele se ele fosse buscar meus filhos que estavam espalhados por várias casas para que você os criasse. Desde minha decisão de voltar ao corpo, tenho refletido muito sobre tudo isso e venho perguntar-lhe se você aceitaria nascer como nossa primeira filha?

Abraçamo-nos e choramos muito. Quando me despedi dela, perguntei-lhe:

– Cidália há alguma coisa que eu possa fazer por você quando for sua mãe?

Ela me disse:

– Dona Maria, eu sempre tive muita inclinação para a música e não pude me aproximar de um instrumento. Sempre amei o piano.

– Pois bem, minha filha. Vou imprimir no meu coração um desejo para que minha primeira filha venha com inclinação para a música. Jesus há de nos proporcionar a alegria de possuir um piano. A essa altura da narrativa o Chico estava banhado em lágrimas e nós também. Mas continuou a falar de Dona Maria:

– Seu pai vai reencarnar em 1997. Vou ficar junto dele por aproximadamente três anos e renascerei nos primeiros meses do ano 2000.

– Mas a senhora já sofreu tanto e vai renascer para ser esposa e mãe novamente?

– São os sacrifícios do amor… Até um dia meu filho… Neste momento, concluiu o Chico, também ela começou a chorar”.

A reencarnação é um episódio de ajustes com o passado e uma oportunidade para acertos na caminhada evolutiva. Diante dessa história e com o pouco que estudei no ESDE, reflito que o processo que pauta todo o planejamento reencarnatório é envolto em uma complexidade e demanda um certo tempo.

Dito isso, vamos tentar ajudar às pessoas que demonstram estar pensando em abreviar a vida. Recentemente fiquei preocupado com o desabafo de um conhecido no Facebook: “aquele chiclete que já perdeu o gosto e eu continuo mascando é igual a minha vida, que já desisti, mas continuo vivendo”. Com certeza essa pessoa está precisando de uma ajuda e nem sempre sabemos como ajudar.

Coloque-se no lugar dele e imagine o tempo em que se dedicou no plano espiritual para traçar a sua rota reencarnatória, mas que teoricamente quer encurtar a jornada porque está carente de alguma resposta que somente o estudo da Doutrina Espírita pode proporcionar.

No mais, sempre há uma luz no fim do túnel e, como já sabemos, Deus nunca nos dá uma fardo que não possamos carregar…

1 – Estamos no Setembro Amarelo, que consiste em uma campanha de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015, e está sendo amplamente divulgada nas redes sociais e veículos de comunicação tradicionais, como rádios, TVs e jornais e. É uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida, do Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria.

2 – A concessionária Yamaha em Mossoró agora é WR Motos.

3 – Meus sentimentos ao advogado Alcides Júnior, o conhecidíssimo Júnior Pirata, pela morte de sua genitora.

4 – Tribunal Superior Eleitoral alerta que não envia e-mail afirmando que vai cancelar título eleitoral. É golpe…

——————–

*é bacharel em Direito, pós-graduando em Direito Previdenciário e diretor de Jornalismo e Programação da Rádio Difusora de Mossoró

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2019 Gazeta do Oeste