Acesse nossas redes

Economia

RN cria 6.952 vagas de emprego formal este ano e tem melhor novembro desde 2010

Alta na geração de empregos foi puxada principalmente pelo comércio. Setor teve um saldo positivo de 1.128 vagas em novembro, bem à frente do setor de serviços

gazetaadm

Publicado

em

O Rio Grande do Norte terminou o mês de novembro com um saldo positivo de 1.690 vagas de emprego no mercado formal. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do mês, divulgado nesta quinta-feira, 19, pelo Ministério da Economia, foram contratadas 11.606 pessoas em novembro, contra 9.916 desligamentos.

A alta na geração de empregos foi puxada principalmente pelo comércio. O setor teve um saldo positivo de 1.128 vagas em novembro, bem à frente do setor de serviços, que terminou o mês passado com saldo positivo em 574 vagas. Além dos dois segmentos, também houve aumento na construção civil, com saldo de 152 vagas.

A agropecuária, que vinha sendo uma das principais responsáveis pelos saldos positivos nos meses anteriores, mais demitiu que contratou em novembro. O Caged aponta que o setor terminou o mês com saldo negativo de 89 vagas – fruto de 608 demissões contra apenas 519 contratações. Também fecharam no vermelho os setores extrativa mineral (-30), a indústria de transformação (-25), os serviços industriais de utilidade pública (-13) e a administração pública (-7).

Com o resultado de novembro, o saldo do ano no Rio Grande do Norte está positivo em 6.952 vagas, fruto de 138.930 contratações contra 131.978 desligamentos. Considerando todos os meses do ano até agora, destacam-se as contratações no setor de serviços (+4.185 vagas).

No estado potiguar, o resultado do mês passado foi o melhor para novembro desde 2010. Naquele ano, o saldo positivo foi de 2.203 vagas.

RESULTADOS NACIONAIS

Considerando o País todo, foi o oitavo mês consecutivo de saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada. Segundo o Caged, o saldo positivo ficou em 99.232 vagas de trabalho, resultado de 1.291.837 admissões e 1.192.605 desligamentos no período. No acumulado do ano, foram criados 948.344 empregos com carteira assinada.

O Caged ainda traz um estoque total de empregos de 39,3 milhões, superior aos 38,7 milhões registrados em novembro de 2018. Outro destaque é a modalidade de trabalho intermitente, que teve mais de 11 mil contratações no mês.

No mês, quatro das cinco regiões apresentaram saldo positivo, com destaque para a região Sudeste, com a criação de 51.060 novas vagas. Na região Sul, foram 28.995 novos postos; no Nordeste, 19.824; e na Norte, 4.491. A região Centro-Oeste foi a única a registrar saldo negativo em 5.138 postos.

Das 27 unidades da federação, 21 tiveram variação positiva – incluindo o Rio Grande do Norte. São Paulo registrou o maior saldo positivo, com a geração de 23.140 novos postos; Rio de Janeiro, com 16.922, e Rio Grande do Sul com 12.257.

Os dados do Caged mostram que em novembro houve 15.754 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado. Entre os setores econômicos, os desligamentos ocorreram principalmente em Serviços (8.147), Comércio (3.635) e Indústria de Transformação (2.452).

Na modalidade de trabalho intermitente foram 17.686 admissões e 6.332 desligamentos, gerando um saldo positivo de 11.354 empregos. Mais da metade foi no Comércio (6.311). No setor de Serviços foram 3.136 e na Construção Civil 973. As principais ocupações foram assistente de vendas (2.657), atendente de lojas e mercados (1.082) e repositor de mercadorias (979).

No regime de tempo parcial, o saldo em novembro ficou 2.122 empregos. Foram registrados 6.635 admissões e 4.513 desligamentos. Os setores que mais contrataram nessa modalidade foram Comércio (1.170), Serviços (856) e Indústria da Transformação (46).

Agora RN

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2019 Gazeta do Oeste