Acesse nossas redes

Circulando em off

O drama dos aliados

gazetaadm

Publicado

em

Muitos gestores foram reeleitos no último pleito, outros conseguiram tomar a prefeitura de adversários, inclusive derrotando forças tradicionais que estavam fincadas nos comandos municipais, como o que ocorreu em Mossoró e Pau dos Ferros, só para exemplificar. Em outra ponta, prefeitos e prefeitas que se elegeram sucedendo aliados políticos. Alguns destes por incrível que pareça, vivem, ou sofrem um drama à parte.

Quem foi reeleito encontrou a casa da forma que deixou, com ações que certamente irão merecer continuidade e as identificadas mazelas. Observa, no entanto, se na avaliação dos erros administrativos, precisam ou não mudar algumas peças da engrenagem, para acrescentar no plano de ação pontos de desacerto que podem ser consertados até depois do colhimento de dados vistos com o povo durante o período de campanha. Há como sequenciar o trabalho mesmo diante das adversidades.

Os que conseguiram derrotar os adversários e que aterrissaram em um terreno duvidoso depois de planar e ter visão apenas alpina da situação administrativa, se deparam com realidades às vezes muito mais críticas do que esperavam. Nesse caso, há como expor algumas vísceras, apontar desatinos, justificar a demora natural e compreensível no ponto de partida para imprimir o novo rosto da gestão e se blindar da cobrança de agilidade diante problemas recorrentes. Uns fazem circular as feridas abertas e ainda ameaçam auditar contas. Faz parte do jogo.

No terceiro bloco estão prefeitos e prefeitas eleitos com apoio de aliados que estavam no poder e que não tiveram mais condições eleitorais de encarar a tentativa de reeleição. Quem pegou a casa desarrumada pelos aliados, tendo encontrado situações desastrosas passam a sofrer um drama a mais: não têm condições políticas de expor dados desagradáveis, não têm como explicar os entraves para não melindrar “parceiros” políticos e ainda sofrem a pressão da exigência por fatias do poder.

Pois bem, no Rio Grande do Norte, há registros patentes desse tipo de drama nos bastidores. Não há como medir até que ponto os novos gestores vão suportar a pressão dos aliados para que sujeira e vícios sejam deixados pelos cantos, enquanto a população dá um tempo para o novo. Certamente chegará o momento em que a casa precisará ser varrida.

Assumir o desgaste dos outros é produzir um atestado futuro de incompetência. Encobrir sujeira pode acabar sendo um caso de associação ao crime. Eis a questão.

MINEIRO DE PALETÓ NOVO

A badalada pendenga jurídica que resultará na perda de mandado do deputado Beto Rosado(PP) para o secretário de estado Fernando Mineiro(PT) nesse caso Kerinho, já exige que Mineiro vista um paletó novo para assumir o mandato apoio a decisão do TRE, que o garante no cargo. É torcer para ele concluir o mandato com olhares voltados para o Rio Grande do Norte.

EM BAIXA

A propósito, a deputada federal Natália Bonavides, eleita pelo PT com expectativa de fazer um grande mandato, não faz outra coisa a não ser denunciar as marmotas do presidente Bolsonaro. Vamos trabalhar pelo Estado moça. “ Se enxergue”, como diria o folclórico Manoel Ladeira.

JUSTIÇA FEDERAL

A Justiça Federal informa através de sua assessoria que o primeiro estágio da fase de reabertura gradual das atividades presenciais na Justiça Federal no Rio Grande do Norte foi prorrogado até o dia 31 de março. Portaria assinada pelo Diretor do Foro da JFRN, Juiz Federal Carlos Wagner Dias Ferreira, chama atenção para as avaliações epidemiológicas emitidas pelas autoridades federais, estaduais e municipais de saúde e observa ainda a imperiosa necessidade de assegurar as condições mínimas para viabilizar o retorno das atividades jurisdicionais, compatibilizando com a preservação da saúde de magistrados, servidores, agentes públicos e usuários em geral.

AUDIÊNCIAS

Nesta primeira fase, estão contempladas audiências em um modelo semipresencial, também chamado de sala passiva. Apenas a parte ou a testemunha que não tenha acesso à nossa plataforma tecnológica de videoconferência é que se deslocará fisicamente para os nossos prédios com o objetivo de realizar a audiência. Todos os demais atores que dela participarem a farão virtualmente, juízes, advogados, procuradores e demais pessoas que dispuserem desse acesso.

VISIBILIDADE

A governadora Fátima Bezerra tem conseguido dar mais visibilidade as ações do seu governo e recebe aprovação popular observando-se a olho nu. Tenho dito que Fátima no Rio Grande do Norte tem conseguido ficar muito maior que o próprio PT. Discretamente pavimenta o caminho para se manter no cargo. Anote aí.

COLÉGIO MILITAR

Na última sexta-feira (22), ocorreu o lançamento oficial do Colégio Cívico-Militar Expedicionários do Brasil, em Mossoró, em solenidade na sede da Faculdade Pitágoras, à Rua Doutor João Marcelino, 1107, onde também funcionará o colégio. Na oportunidade foi apresentada a proposta pedagógica para os segmentos de ensino Fundamental e Médio. É isso aí.

NO PÁRA CHOQUE

As mulheres perdidas são as mais procuradas.

CONFUSÃO EM APODI

Petistas de Apodi não engolem nem com batata a indicação de Girlene Ferreira para a direção do Hospital Hélio Morais Marinho, em substituição a Alyson de Góis, que pediu exoneração do cargo. Apesar de terem apresentado nomes, a governadora Fátima Bezerra preferiu a indicação do deputado Bernardo Amorim(MDB). Girlene é esposa do ex-prefeito de Felipe Guerra, Haroldo Ferreira, que apoiou Bernardo para deputado estadual.

DESPRESTÍGIO

O PT apodiense não esconde de ninguém o desconforto e o desprestígio. É que durante os quatro anos do ex-governador Robinson Faria, a oposição apodiense tinha na caderneta esta entre outras indicações no governo. Não se debate no atual contexto, a questão de competência, uma vez que Girlene fez um bom trabalho como secretária de saúde na gestão de Haroldo em Felipe Guerra, mas desprestígio mesmo, uma vez que foram apresentados quadros competentes para a função.

ENCONTRO

A reversão desse quadro não é certa. No entanto, a deputado petista Isolda Dantas tomou as dores e se reuniu com aliados de Apodi para levar o problema gerado à governadora Fátima Bezerra.

EM TEMPO

O PT de Apodi havia apresentado nome da enfermeira Saúde Paiva(Republicanos) para dirigir o hospital. Saúde foi candidata a vice-prefeito na chapa de oposição que tinha o candidato Agnaldo Fernandes como candidato a prefeito.

A QUEM INTERESSAR POSSA

Quem fala demais dá bom dia a cavalo.

ASSÉDIO

Fernando Mineiro já chega assediado na Câmara dos Deputados por conta das eleições da Mesa Diretora. Beto votaria em Arthur Lira, candidato de Bolsonaro. Esse voto agora vai para Baleia Rossi. Briga acirrada, por sinal.

RELAX“ Felicidade, é uma cidade pequenina/É uma casinha é uma colina, qualquer lugar que se imagina/Quando a gente quer amar…” MORAES MOREIRA

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Copyright © 2019 Gazeta do Oeste