Acesse nossas redes

Política

Isolda é cobrada por ética e coerência devido a posições assumidas pela parlamentar

Parlamentar teria constrangido até um policial, aplicando “carteirada”, ao incentivar paralisação em empresa.

gazetaadm

Publicado

em

Foto: Reprodução

Adversários e até aliados da deputada Isolda Dantas(PT) começam a lhe cobrar coerência e ética, em razão da análise de posições que vem sendo tomadas pela parlamentar, que tem sido vista como pré-candidata a Prefeitura de Mossoró.

Mais uma vez a deputada estadual Isolda Dantas (PT) externa que quer aproveitar da fragilidade de parcela da população para se dar bem politicamente, segundo avaliação de um adversário político. “Não faz muito tempo, ainda quando vereadora, ela quis se sobressair no caso envolvendo estagiários e a Prefeitura de Mossoró. A parlamentar orientou, via celular, os métodos que deveriam ser utilizados, os quais culminaram em mordidas animalescas nas costas de um segurança da Câmara Municipal”, lembra, para complementa que agora, Isolda teria aplicado a famosa “carteirada’ em um profissional da Polícia Militar, que foi chamado para garantir a saída de veículos da empresa que faz a coleta de lixo na cidade.

A fonte que preferiu não se identificar esclareceu que uma parcela dos funcionários que fazem capinagem para a empresa Vale Norte não tinha recebido o salário do mês por um problema de compensação bancária, uma vez que os repasses da prefeitura estão em dia. A própria Vale Norte já havia informado que teria havido problemas envolvendo questões bancárias e que o repasse da verba seria feito.

Mesmo assim a deputada foi em “ajuda” dos servidores da Vale Norte e praticamente constrangeu um coronel que havia sido enviado pela PM para garantir que os carros da coleta de lixo saíssem da empresa para o serviço. A parlamentar aplicou a velha postura do tipo ‘você sabe com quem está falado?” e exigiu que o policial saísse do local.

“Isolda emite, com isso, sinais evidentes de que a verdade que ela defende é totalmente diferente do que algo realmente acontece. Basear um projeto político pessoal em carteirada e em factóides, sinceramente, não é digno de quem quer ser político”, frisou.

Avalia, ainda, que se trata de uma coisa que se complica quando quem recorre a métodos nada ordeiros já desempenha função pública. Enquanto Isolda aparece como defensora de quem sofrera atraso de um dia por falha burocrática, ela se cala e corre longe dos movimentos – tímidos, diga-se de passagem – dos sindicatos estaduais contra os dois meses de salários atrasados e a quase certeza do não pagamento do 13º salário de 2019.
Isolda, por outro lado, já recebeu 40% do 13º do ano corrente em junho, novidade que ela ajudou a criar às vésperas do carnaval visto com o intuito de ser abafado: a criação pela primeira vez na história do estado do 13º salário para deputados estaduais. Até agora Isolda silenciou sobre sua invenção.

“Parafraseando Zequinha Dirceu, filho de Zé Dirceu que quis metaforizar a postura do Ministro Paulo Guedes sobre a reforma da previdência e tributária em que comparou postura do ministro a um “Tigrão” numa e a uma “Txutxuca” noutra, não é exagero dizer que Isolda age de um jeito com o sofrimento dos servidores estaduais enquanto tenta agitar e criar confusão ou até agressões (mordidas ) quando o assunto é questões pontuais e até ligeiras falhas bancárias já corrigidas por prestadores de serviço municipais”, alfinetou.

“Se a metáfora do herdeiro do preso José Dirceu serve para a deputada de caríssima campanha em 2018, fica no imaginário do leitor, bem como em que circunstância com quem há uma ação de “txutxuca” ou de “tigresa”. E assim segue o Petismo potiguar, fechando os olhos para os desmandos do governo estadual e virando uma fera contra seus adversários políticos municipais. Como se o eleitor gostasse de agressividade e radicalismo”, concluiu.

Copyright © 2019 Gazeta do Oeste